ADECRU participa no seminário regional sobre género, soberania de sementes e biodiversidade agrícola

[Maputo, 20 de Setembro de 2017] – Acção Académica para o Desenvolvimento das Comunidades Rurais (ADECRU), participa a partir desta Quarta-feira,20, até amanhã, 21 de Setembro corrente do encontro regional da sociedade civil sobre género, soberania de sementes e biodiversidade agrícola na África Austral. O encontro de Durban pretende entre outras questões: discutir as relações de género no trabalho de construção de um movimento forte e crítico de soberania alimentar e de alimentação na África e no mundo em geral. Constitui, ainda, matéria de debate a questão da inter-relação entre feminismo radical, capitalismo patriarcal e soberania de sementes em África.

IMG 5258

O African Center for Biodiversity (ACB), uma instituição de pesquisa sul-africana que organiza o evento, espera que até ao fim deste encontro de dois dias os   participantes tenham uma compreensão aprofundada do papel da mulher na agricultura para daí estudar-se passos concretos com vista a fazer face as desigualdades de género no dia-a-dia de cada país e em África. 

Para a activista e defensora de sementes nativas, Memory Mashavake, de nacionalidade zimbabuena, este encontro vai servir de espaço para troca de experiência em torno desta temática de soberania de semenetes e biodiversidade agrícola. Porém alertou que ” temos que negar as sementes geneticamente modificadas para a salguarda da saúde e longevidade das gerações vindouras.” 

Desde a sua fundação, ADECRU tem lutado em defesa dos direitos das comunidades rurais principalmente no que toca ao direito a terra, água, alimentação adequada, sementes no contenxto de entrada massiva e desregulada de grandes investimentos que usurpam e ocupam grandes porções de terras, provocando conflitos de terra, fome, desnutrição crónioca, desloção forçada das comunidades e destruição de seus bens comuns e patrimoniais.

 O encontro conta com a participação de cerca de 31 participantes em representação de movimentos sociais, instituições de pesquisa, académicos e organizações de camponeses e da sociedade civil da África do Sul, Tanzânia, Suazilândia, Zâmbia, Zimbabwe e Moçambique. A delegação da ADECRU a este seminario é composta por Jeremias Vunjanhe, Sheila Rabecae António Gaveta. Além da ADECRU, Moçambique faz-se representar ainda pela União Nacional de Camponeses (UNAC). Publicado em 20 setembro 2017